Foto: Pixabay

A maior parte dos exames diagnósticos que usam radiação ionizante (como radiografias, TC, mapeamento com radioisótopos, etc.) expõe os pacientes a doses baixas de radiação, que na maioria das vezes são consideradas seguras.

No entanto, toda a radiação ionizante tem potencial de ser lesiva e não existe um limiar abaixo do qual não ocorrem efeitos lesivos. Dessa forma, é preciso fazer um levantamento radiométrico para assegurar a proteção das pessoas.

Para entender melhor quais são os riscos da radiação, continue lendo este conteúdo!

Riscos da radiação

Desde as radiações ionizantes foram descobertas, profissionais do campo da saúde começaram a obter imagens internas do organismo, sem ter de fazer uma cirurgia exploratória.

Essa nova opção permitiu que inúmeras vidas pudessem ser preservadas no decorrer de todos esses anos. Até porque, os riscos que um paciente corre ao realizar uma cirurgia é muito maior do que ao fazer alguns testes radiológicos.

Quando a exposição à radiação é baixa, o paciente não corre risco de sofrer com efeitos colaterais severos. O que pode acontecer é que ele tenha uma leve alergia ou ocorra uma vermelhidão na região que foi exposta.

Sendo assim, na maioria dos casos, é mais vantajoso fazer exames e tratamentos com radiação. Por outro lado, os exames de radiologia possuem efeito cumulativo.

Isso significa que, ao passar longos períodos de exposição, a radiação pode causar algumas alterações no DNA das células, que contribui para aumentar os riscos de desenvolver doenças, como o câncer.

Tais perigos fizeram com que instituições, como a Organização Mundial da Saúde (OMS) e o Ministério da Saúde, alertarem a população sobre os riscos, especialmente entre as crianças.

Exames de imagem

Foto: Pixabay

Os exames de imagem geram uma exposição à radiação ionizante, além deles, também tem a exposição ambiental de fundo (da radiação cósmica e isótopos naturais). Que tende a ser maior, ainda mais em grandes altitudes.

Um exemplo são os voos em aviões que geram uma maior exposição à radiação ambiental como a seguir:

  • Em apenas um voo de avião transcontinental nos EUA: 0,01 a 0,03 mSv;
  • Da exposição à radiação de fundo anual média nos EUA: cerca de 3 mSv;
  • Da exposição anual em altas altitudes: provavelmente > 10 mSv.

A radiação pode causar riscos caso a dose total que uma pessoa acumulou tenha sido muito alta. Como ocorre quando é feita uma tomografia, já que a maioria desse tipo de exame requer maiores doses que os outros tipos de exames por imagem.

Em certos casos, a exposição à radiação pode ser preocupante, como para:

  • Gestação;
  • Na infância;
  • Início da infância;
  • Em adultos jovens para mulheres que precisam fazer mamografia.

Radiação e câncer

Foto: Pixabay

A estimativa da exposição à radiação causar riscos de câncer ao realizar exames diagnósticos foi estipulada com base em um estudo de pessoas que foram expostas a doses muito elevadas de radiação. Por exemplo, os sobreviventes das explosões de bombas atômicas de Hiroshima e Nagasaki.

A análise sugere um risco real, embora pequeno, de causar câncer, caso as doses de radiação estiverem em décimos de mGy (como usados em TC). Uma angioTC pulmonar de rotina feita para detectar a embolia pulmonar emite a mesma quantia de radiação para as mamas que é cerca de 10 a 25 mamografias de duas incidências.

Esse risco costuma ser maior em pacientes jovens, tendo em vista que eles vivem por mais tempo e, como consequência, o câncer têm mais tempo para desenvolver-se. Além disso, os jovens também possuem um maior crescimento celular, sendo mais suscetíveis aos danos no DNA.

Em outras palavras, se uma criança de 1 ano fizer uma tomografia do abdômen, o risco estimado para desenvolver câncer ao longo de sua vida sobe para 0,18%. Ao passo que, quando um paciente mais velho faz o mesmo exame, os riscos são menores.

Esse risco também irá depender de acordo com o tecido a ser irradiado. Os tecidos que são considerados mais radiossensíveis são:

  • Tecido linfoide;
  • Medula óssea;
  • Sangue;
  • Testículos;
  • Ovários;
  • Intestinos.

Já o sistema nervoso central e o sistema musculoesquelético nos adultos, são considerados mais resistentes a radiação.

Radiação durante a gestação

Mulheres gestantes também estão mais vulneráveis à radiação. Os riscos irão depender de fatores como:

  • Dose;
  • Tipo de exame;
  • Região a ser examinada.

Em contrapartida, o feto tende a ser menos exposto à radiação em comparação com a mãe. A exposição do feto é negligível durante radiografias de:

  • Cabeça;
  • Coluna cervical;
  • Extremidades;
  • Mamas (mamografia), com o útero protegido por um capote de chumbo.

A extensão da exposição irá variar conforme o tempo da gestação e do tamanho do feto. Sendo assim, os efeitos da radiação irão depender da idade do feito.

Recomendações

Foto: Pixabay

O diagnóstico de imagem que faz uso de radiação ionizante, principalmente a TC, deverá ser realizado só quando for realmente preciso. O ideal é considerar alternativas antes, por exemplo, para uma criança pequena que tenha tido um trauma leve de crânio pode-se usar a ultrassonografia para diagnosticar.

No entanto, não deve adiar exames importantes, por mais que a dose de radiação seja maior, caso os benefícios superem os riscos para o paciente.

Dicas e conselhos

Durante os exames de radiologia, sempre que possível proteja o útero das mulheres que estão na idade fértil. Pois, mulheres durante o início da gestação correm mais riscos de sofrer as consequências da Radiação.

Sendo assim, ao fazer exames de diagnóstico nas mulheres em idade fértil é necessário considerar a hipótese de estarem de gestação. Especialmente devido aos maiores riscos de expô-las à radiação, durante o início da gestação que, na maioria das vezes, pode ainda não ser identificada no 1º trimestre.

Conclusão

Como você pôde ver neste conteúdo, a exposição à radiação ionizante pode acarretar muitos riscos para pessoas, caso esteja em doses elevadas e cumulativas. Por isso, é importante que esses exames com grandes quantias de radiação sejam feitos apenas quando realmente necessários.

Além disso, também é importante contar com equipamentos de segurança para reduzir os riscos. E caso tenha gostado deste conteúdo, não esqueça de compartilhar com os amigos, aproveite também para conferir outros posts como este em nosso blog!

Rate this post

Similar Posts

Leave a Reply

Your email address will not be published.